Mesmo os voos solitários chegam em algum lugar. Façamos de nosso Pais a Terra que sempre sonhamos viver...

domingo, 29 de maio de 2011

Revolução Fiscal

Se uma pessoa entrar na Justiça. Pedir interrupção dopagamento de Impostos, até que o Governo confirme o destino correto ao arrecadado. Estará nas mãos do Governo.
Se a População entrar, o Governo estará nas mãos dela.


Hoje, com total razão, muita gente critica Lula e Cia.
Existe um lugar comum.
Todos concordam não bastar criticar. Algo tem que ser feito.
Dou uma possibilidade.
Consulte um advogado. Compartilhe a ideia. Hora de mostrarmos que somos uma Nação. Não um Rebanho de Cordeiros
O PT extrapolou todos os limites de corrupção e má gestão do dinheiro de Impostos.
Sente-se blindado e acima de qualquer tipo de punição. Criou leis que o protege e canalisou o Poder.
Para tira-lo somente com o uso de armas. Uma Revolução.
Mas não precisa ser arma de fogo que fere a pessoa e destrói o Patrimônio.
Existe outra. Pacífica e legal, que atinge a jugular do inimigo.
A sustentação da Ditadura Petista é o dinheiro arrecadado em Imposto extorsivo e nunca aplicado onde deveria.
Hora de por em "xeque" a obrigatoriedade de se manter essa máquina criminosa.
Simples questão comercial.
O comprovado mau uso do dinheiro arrecadado, caracteriza o descumprimento de contrato.
A população tem o direito de se negar pagar.
Hora de fazer História. Revolução Fiscal. Sem derramar uma gota de sangue e sem ter de enfrentar tanques.
Vale para pessoa física e juríica.
Não é apologia a desobediência civil ou sonegação.
Trata-se de uma justa cobrança de direitos e pedido de um prazo, enquanto se reformula o mal imperante.
Basta entrar com um processo contra o Governo e exigir o direito de não pagar Impostos por dois anos ou enquanto estiver constatado que não há investimentos em benefício à população. Destino determinado, para justificar a cobrança.

2 comentários:

  1. José Octavio Dettmann29 de maio de 2011 07:40

    Isso parece interessante. Qual é o fundamento legal dessa exceção? Em termos de direito natural é justificável e aceitável, mas os juízes deste país só enxergam as leis nulas que são postas por esta república de m*****, e não a verdade revelada contida na Bíblia, como o fundamento determinante de suas decisões judiciais. Se você puder me apontar o fundamento legal, eu agradeço.

    ResponderExcluir
  2. Não sou advogado, mas andei conversando com alguns e todos me falaram que é algo a se estudar. Existem várias questões legais, não politicas ou morais, que dão ao cidadão o direito de pedir uma investigação do destino de seus impostos.O mau gasto caracteriza quebra de contrato. Basta ver a definição de Imposto. Essa quebra justifica inclusive bloqueio de pagamentos de cheques ou débitos compulsórios. Se o Governo não comprova o destino do cobrado, deixa de se configurar como imposto. Passa a se caracterizar como confisco e aí está a brecha juridica. A CPMF demonstra o que coloco. Só puderam aprova-la, por afirmar ser a saúde, o destino do arrecadado. Mas o que me colocaram é que, cada caso é um caso. Por isso iniciei o texto com (consulte um advogado)

    ResponderExcluir